quarta-feira, 27 de maio de 2015

Noé




A Bíblia é uma fonte de inspiração extraordinária para muitos fins, e a onomástica é um deles! Os nomes bíblicos têm sido amplamente difundidos ao longo dos séculos por todo o mundo e no século XXI a tendência mantém-se. Quantos rapazes chamados João, Pedro, Lucas, Mateus, David, Joaquim, Gabriel, Miguel, Rafael (e por aí além) conhecem? No ano de 2014, dos dez nomes mais utilizados em São Paulo, sete têm cariz bíblico. Em Portugal, no mesmo ano, as escolhas são mais heterogéneas, mas, ainda assim, contamos com nomes como João, Miguel, Tiago, Gabriel, Pedro, Rafael, Lucas e Simão no top 20.



Assim sendo, e seguindo esta linha, pretendo recuperar um nome que já há algum tempo não pertence à lista de muitas futuras-mamãs, mas que mantém intacto o espírito que se cultiva do Homem-Bom, entregue aos seus ideais e que procura um mundo melhor.


Noé. O nome em si é bastante harmonioso. Pequenino, é uma escolha perfeita para quem aprecia nomes curtos e apelativos. Acredito que seja indissociável da velha história da Arca e do Dilúvio, mas, quiçá, o nosso Noé, dos nossos dias, tenha potencial para ser um acérrimo defensor da humanidade e dos direitos dos animais, não? ;) Depois do Dilúvio, reza a lenda, Deus criou um arco-íris como símbolo do seu pacto de paz com os homens. E digam lá, Noé & Íris não faziam um bom par de irmãos?

Noé deriva do hebreu Noach, que significa "descanso, conforto", sendo a versão portuguesa, espanhola e francesa de Noah. Noah é uma versão também aceite em Portugal e muito mais popular também (ocupando 75ª posição do ranking dos nomes mais populares em Portugal e São Paulo no ano de 2014), sendo o nome mais popular nos Estados Unidos da América desde 2013. Noah pode ser mais apetecível àqueles que apreciam nomes internacionais, mas, sendo eu uma grande amante da minha língua materna, encontro em Noé um nome impecável e perfeitamente reutilizável.

No entanto, apesar de ser muito conhecido, o nome muito poucas vezes foi utilizado no passado e ainda menos é utilizado no presente. Podemos, inclusive, dizer que Noé não está associado a nenhuma geração em particular, e se nos transmite um ar antigo é apenas porque estamos a associá-lo à história bíblica. Durante o século passado o número máximo de registos que obteve em Portugal foram 17, no ano de 1939.

Mais recentemente, temos a informação de que em Portugal, no ano de 2013 foi utilizado duas vezes como primeiro nome e registado nos compostos Dinis Noé, Duarte Noé, Timóteo Noé e Tomás Noé. Já no ano de 2014, nasceram oito crianças com o nome Noé, o que, mais uma vez, é uma ótima notícia para aqueles que procuram uma escolha original e distante das luzes da ribalta da onomástica! Neste mesmo ano foram registados os compostos Noé Francisco, Noé Manuel e Rúben Noé. Por fim, em 2015, o número aumentou uma vez mais, tendo sido registados em Portugal 9 meninos com Noé como primeiro nome, desconhecendo-se até à data se terá sido utilizado como segundo nome - mas provavelmente sim! Também no Brasil, o nome mantém-se muito discreto, sabendo que no ano de 2915 em São Paulo foram registados apenas 3 meninos com este nome!

Confesso-vos que Noé é dos meus nomes favoritos. Acho-o muito ternurento, muito amoroso. Não tem nada de aristocrático, nem está ligado a nenhuma referência fantástica do mundo artístico-intelectual, mas acho-o muito carismático e gostaria de partilhar convosco um composto que acho muito bonito e, novamente, muito doce: Noé Valentino.

Joana Recharte.

O que acham deste nome? Deixam-se cativar?


Fontes Consultadas:
Behind the Name, SPIE, Diário de Notícias, Nomes e Mais Nomes, Wikipédia, IRN, ARPEN/SP

10 comentários:

  1. Gosto de Noé mas remete-me imediatamente para a arca, o que em si não significa que seja mau, mas se usasse usaria Noah :)

    ResponderEliminar
  2. Gosto muito do nome, mas sem a conotação religiosa.

    ResponderEliminar
  3. Usaria como segundo nome. Adoro nomes bíblicos.

    ResponderEliminar
  4. Noé é um nome muito bonito, forte tanto na grafia quanto na pronúncia, o único problema é que a associação com a arca é muito forte ainda. Noah é bonito tb, talvez ele esteja sendo bem usado pq justamente pq não fazem a imediata ligação com "a arca de Noé".

    ResponderEliminar
  5. Eu gosto de Noé em compostos, especialmente Luiz Noé. Acho que flui junto e é um composto que as pessoas usariam os dois nomes para chamar a criança.

    ResponderEliminar
  6. Gosto mesmo muito de Noé. Apesar de antigo tem um ar fresco e moderno. Também gosto da variante Noah mas prefiro mesmo Noé.

    ResponderEliminar
  7. Fico muito contente por ler os vossos comentários positivos! Obrigada pelo feedback, acredito mesmo que Noé é um nome com potencial e pondero seriamente usá-lo *

    ResponderEliminar
  8. Gosto muito de Noé e adorei o par Noé & Íris.

    ResponderEliminar
  9. Noé para mim é suave, agradável, harmonioso e simples. Gostos igualmente de Noé e de Noah. Usaria sem dúvidas qualquer um dos dois.

    ResponderEliminar