segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Paulo


Da minha experiência, que em vários momentos conheci alguém chamado Paulo, achei até à data da redação desta publicação que Paulo sempre havia sido comum entre os portugueses. Equiparava o uso de Paulo a António, até porque cresci ao lado de vários. No entanto, e para meu espanto, isso não é verdade.

De acordo com os dados do SPIE, entre 1920 e 1950 Paulo nem atingia os 100 registos anuais em Portugal inteiro! O “boom” deu-se a partir dos anos 60, sem razão aparente, onde em 1960 haviam sido registados 738 meninos assim chamados, sendo que em 1970 este número havia subido para os 6044! O auge dos registos é atingido no ano seguinte, 1971 com 6511 meninos chamados Paulo a nascerem em Portugal! A partir desse momento, e até hoje, os registos têm vindo a decrescer, talvez devido à saturação do seu uso numa década específica o que o permite classificar como um nome datado.

No entanto, apesar de o seu uso ter sido mais pronunciado numa determinada época, Paulo continua a ser utilizado nos nossos dias em Portugal, sendo que em 2014 se encontrava na 57ª posição com 93 registos. João Paulo é o composto mais comum com este nome, tendo sido utilizado 33 vezes em 2014 em Portugal e ocupando a 95ª posição do ranking dos nomes mais utilizados no Brasil, de acordo com dados do BabyCenter Brasil.

Paulo chegou a nós através do latim paullus, que quer dizer pequeno, talvez no sentido de estatura, talvez no sentido da humildade. Era o nome de uma importante família romana, mas o seu uso como nome próprio deve-se mais à figura de São Paulo, um importante apóstolo de Jesus e líder do Cristianismo, ainda que o seu nome original fosse Saúl. A sua influência promoveu o uso do seu nome, que foi também o nome de seis papas, muitos imperadores, reis e santos!

Como referências destaco o Papa João Paulo II, muito acarinhado pelos católicos, os pintores impressionistas franceses Paul Cezanne e Paul Gaugin, o pintor expressionista suíço Paul Klee, os atores Paul Newman e Paul Walker, os músicos Paul Simon, Paul McCartney e Paulo de Carvalho, e do escritor brasileiro Paulo Coelho. Naturalmente, também é o nome da cidade de São Paulo, Brasil.

Joana Recharte.

Paulo para vocês continua a ser um nome atual?

6 comentários:

  1. Acho q no Brasil, pelo q posso notar, o nome Paulo teve exatamente a mesma trajetória q teve em Portugal, durante a mesma época. Tb o considedo meio datado, mas ainda é usado em compostos. O considero um nome meio neutro, nem bonito, nem feio, nem expressivo demais e nem apagado...

    ResponderEliminar
  2. É bem datado né? Mesmo assim eu gosto.

    ResponderEliminar
  3. Acho que todos conhecemos alguns adultos com esse nome e isso faz com que ele perca um pouco do frescor, mas isso não tira a beleza. Não está na minha lista, mas o considero perfeitamente usável.

    ResponderEliminar