sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Délia


Surpreendentemente, ou não, Délia é um nome geográfico. Remete para a Ilha de Delos, onde, segundo a Mitologia Grega, a deusa Hera deu à luz Apolo (o deus do Sol) e Ártemis/Artemisa (deusa da Lua). A lenda conta-nos que Poseidon (Deus dos Mares e dos Oceanos) ergueu no Mar Egeu uma ilha onde nenhuma montanha, colina ou arbusto produziriam sombra, para que Hera pudesse dar à luz os seus filhos gémeos.

Délia remete assim a alguém que pertence à ilha de Delos, mas foi também utilizado vulgarmente como epíteto de Ártemis/Artemisa ou de Deméter (a deusa da Agricultura), sendo também usado para se referir ao conjunto de ninfas que habitariam aquela ilha específica. Os registos mais antigos de Délia como nome próprio datam da época anterior ao nascimento de Cristo, na Antiga Roma, onde o poeta romano Tibullus (51-19 A.C.) escreveu várias elegias de cariz romântico para aquela mulher que o encantava de forma mágica e pura, de nome Délia, precisamente! O nome tornou a ser utilizado por vários poetas apaixonados no decorrer dos séculos XVI e XVII, o que nos leva a crer que por esta altura Délia já estaria bem difundido como nome próprio!

Em Portugal, foi um nome que nunca teve muita expressão, e presumo que no Brasil o cenário seja idêntico, embora não existam dados que o confirmem. Em 2014, em Portugal, Délia foi registado duas vezes e no composto Francisca Délia Salomé, Délia Alina e Délia Florina. Opções menos habituais às que estamos habituados a ouvir/ver no dia-a-dia.

Como referências temos Delia Smith, a conhecida chef britânica, e a talentosa música responsável pela Banda Sonora de Dr. Who, Delia Derbyshire. Inspirando-se neste nome, o músico americano Johnny Cash compôs uma música chamada Delia’s Gone e Bob Dylan compôs uma chamada Delia. Além destas referências musicais, tem sido utilizado na arte literária e cinematográfica, sendo nome de personagens em Everwood, Pokemon e Ghost Whisperer.

Pessoalmente acho-o muito mimoso, muito querido. E tremendamente subvalorizado! A falta de cariz religioso e o facto de ser um nome geográfico, sem significado pomposo associado podem estar na causa desta indiferença ao nome. Assim especulo.

Joana Recharte.


Que acham de Délia? Usável em 2015 e adiante?

4 comentários:

  1. Não gosto, acho demasiado forte. Prefiro Dália ou Adélia. Mas sim, Délia é usável.

    ResponderEliminar
  2. No Brasil é mesmo um nome muito pouco visto, como em Portugal. Gostei das histórias mitológicas associadas, mas do nome não gosto. Acho q é um nome sem impacto, um nome apático.

    ResponderEliminar