segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Teresa


Um internacional reconhecido em todo o mundo e muitas vezes visto como Tereza ou Theresa, este é um nome que considero ser intemporal aqui em Portugal, pois apesar de nascerem muitas crianças com os chamados “trendy names”, ainda nascem, para minha alegria, muitas Teresas.

Este nome foi primeiramente registado como Therasia, e o seu significado é incerto, pode derivar do grego θερος (theros) que significa Verão, derivação de  θεριζω (therizo) que significa ceifar, colher, ou, pode ainda derivar do nome da ilha grega de Therasia. Durante a idade média, Teresa foi um nome que se utilizou muito na Península Ibérica, e a partir do século XVI espalhou-se pelo mundo cristão com a fama de Santa Teresa de Ávila. Outra das grandes referência inegáveis é Madre Teresa de Calcutá que adotou o nome inspirado na santa francesa Thérèse de Lisieux, patrona dos missionários.

Em 2014, em Portugal, nasceram 137 crianças com este nome, entre elas, existem algumas que com um segundo nome, formaram belos compostos, como é o caso de Teresa Isabel, Teresa Leonor, Teresa Filipa e Teresa Duarte. Ainda no mesmo ano, no estado de São Paulo, no Brasil, Teresa obteve 32 registos, e Tereza, 30.

Em Portugal temos algumas referências com este nome como Teresa de Leão, mãe de D. Afonso Henriques, primeiro rei de Portugal, a apresentadora de TV Teresa Guilherme, Teresa Salgueiro, vocalista dos Madredeus, Teresa Tavares, atriz, Teresa Almeida, campeã do mundo de bodyboard. No Brasil temos também algumas referências como por exemplo a cantora Teresa Cristina, a pintora Teresa Viana, a atriz Teresa Sequerra e a cineasta Teresa Trautman.

O único senão deste nome, em Portugal, é que, para além de ser um nome com uma carga religiosa forte (e isto é mundial), há ainda o facto de muita gente o pronunciar como Treza tirando um pouco o brilho ao nome. No Brasil acho Teresa uma opção muito viável, fugindo aos populares, e mesmo as suas versões mais estropiadas não o tornam muito mais feio por isso.

Como é visto o nome Teresa por vós?

9 comentários:

  1. Gosto muito de Teresa, é o nome da minha mãe. Talvez por isso mesmo não o considero usar, mas acho-o elegante, uma escolha muito segura, tal como Isabel!

    ResponderEliminar
  2. Também adoro. Um clássico elegante e simples ao mesmo tempo.

    ResponderEliminar
  3. Prefiro a grafia Tereza, mesmo assim não gosto do nome...acho tanto Teresa quanto Tereza melancólicos(acho q é pq me lembram a palavra tristeza).

    ResponderEliminar
  4. Adoro e cogito para uma segunda filha, se tiver. Adotaria o apelido Téssa. Gostei do composto Teresa Emília que encontrei em outro post. Com exceção de Duarte (que aqui no Brasil é sobrenome), também adorei os compostos listados. Ah, no Brasil não pronunciamos Treza.
    Não vejo a carga religiosa associada ao nome. Se for, é à Madre Teresa, que é querida por pessoas de diversos credos.
    Percebo que Teresa (como Emília) é um nome recorrente na comunidade nipo-brasileira, em mulheres de 65 anos para cima.
    Curto a duplinha Teresa e Marisa, embora aqui no Brasil, como em Portugal - segundo as simpáticas informações da JR - sejam nomes representativos de gerações diferentes (as Marisas teriam 10, 20 anos menos, estariam na faixa dos 50,60). Hoje creio que Teresa é escolhido sobretudo pela elite. (Aliás, é um nome comumente visto com elegante. Maria Teresa é um ótimo composto para personagens socialites rsrs)
    Rafael, amei o post! Estamos juntos no amor por Teresa! O significado ligado à terra não procede?

    Deixo um poeminha do Bandeira para deleite:
    (lamento a quebra da tabulação original)

    Teresa

    A primeira vez que vi Teresa
    Achei que ela tinha pernas estúpidas
    Achei também que a cara parecia uma perna

    Quando vi Teresa de novo
    Achei que os olhos eram muito mais velhos que o resto do corpo
    (Os olhos nasceram e ficaram dez anos esperando que o resto do corpo nascesse)

    Da terceira vez não vi mais nada
    Os céus se misturaram com a terra
    E o espírito de Deus voltou a se mover sobre a face das águas.
    Manuel Bandeira BANDEIRA, M., Libertinagem, 1930.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. No quadro de comentários o poema estava desconfigurado, mas felizmente saiu correto no site.

      A foto é muito cara de Teresa, Rafael! Acertou em cheio! :)

      Eliminar
  5. Eu gosto pois é um nome que fica bom em qualquer nacionalidade e tem um apelido fofo: Tessa.

    ResponderEliminar